Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Portugal à Lupa

Há 13 anos a calcorrear o País como jornalista, percebi há muito que não valorizamos, como devíamos, o que é nosso. Este é um espaço que valoriza Portugal e o melhor que somos enquanto Povo.

Portugal à Lupa

Há 13 anos a calcorrear o País como jornalista, percebi há muito que não valorizamos, como devíamos, o que é nosso. Este é um espaço que valoriza Portugal e o melhor que somos enquanto Povo.

Oleiros: rota das Montanhas, «a evasão da rotina»

Sob o lema “a montanha é a evasão da rotina” a Rota das Montanhas de Oleiros assume-se como um dos maiores cartazes turísticos da região. Um roteiro à disposição do turista que permite explorar o território da Beira Baixa. São cem quilómetros de extensão num itinerário para se fazer de carro e que abrange geomonumentos e outros pontos turísticos do concelho. Atrair turistas e promover o território são dois dos objetivos da iniciativa que promove igualmente a gastronomia, artesanato e tradições locais.

 

rota montanhas oleiros03.jpg

Texto | Ana Clara

Fotos | Câmara de Oleiros

 

A ideia da Rota das Montanhas de Oleiros passa por atrair novos públicos, nomeadamente os adeptos do montanhismo e da evasão da rotina, assim como diversos operadores turísticos que pretendam desvendar novas vertentes do turismo de montanha.

 

A Rota foi apresentada pela primeira vez em Dezembro de 2010 no âmbito da celebração do Dia Internacional das Montanhas.

 

Sob o lema “a montanha é a evasão da rotina”, o projecto impõe-se como um roteiro turístico idealizado conjuntamente pelo município de Oleiros e pela Naturtejo, entidade que promove o Geoparque Naturtejo, sendo que pretende ser uma ferramenta turística diferenciadora no contexto em que se insere e inspirando-se na tão procurada e diversificada “cultura de montanha”.

 

Trata-se de um itinerário circular por estrada, com quase 100 quilómetros de extensão, abrangendo todo o concelho de Oleiros, em pleno Geopark Naturtejo.

 

A história do padre António de Andrade, natural de Oleiros, que escalou os Himalaias no século XVII também deu o mote a esta iniciativa. O roteiro desenvolve-se num cenário envolvido pelas «míticas montanhas» onde no século XVI nasceu o Padre António de Andrade, «escalador dos Himalaias e descobridor do Tibete».

rota montanhas oleiros_abertura.jpg

 

A Rota das Montanhas de Oleiros convida, assim, o geoturista a percorrer o território, atravessando paisagens naturais e pensadas pelo Homem (paisagens culturais); a viver a sua cultura e a experimentar os seus produtos endógenos.

 

Os turistas que pretendam realizar esta Rota terão como suporte um mapa onde aparece delineado o percurso viário pelo concelho e pelos seus 33 pontos de interesse, todos georreferenciados.

 

Entre monumentos históricos e naturais, praias fluviais, manchas florestais, aldeias típicas e em xisto, locais de artesanato ao vivo, miradouros, parques de merendas e percursos de BTT e pedestres de pequena e grande rota.

 

Há também vários percursos pedestres ao dispor do turista, com destaque para a grande Rota do Zêzere (que percorre o Rio Zêzere da nascente à foz, percorrendo mais de 50 quilómetros no concelho de Oleiros), a Grande Rota Muradal-Pangeia (Trilho Português dos Apalaches) e os quatro PR´s existentes (os dois Caminhos do Xisto, a GeoRota do Orvalho e o Trilho do Estreito).

  

A cultura, a gastronomia e o artesanato do concelho aparecem referenciados nesta Rota sob a marca de “produtos da montanha”. Várias iguarias gastronómicas atraem inúmeras pessoas ao concelho, como o cabrito estonado, a aguardente de medronho, os geodoces de Oleiros e do Vinho Callum, mas também o artesanato local.

 

Neste campo, destacam-se as afamadas peças em linho, originárias da mais autêntica tecelagem artesanal; os bancos de cortiça (também chamados de “tropeços”); peças únicas em madeira de várias espécies; casas em xisto e peças de cerâmica decorativa, pintadas à mão.

 

No mapa do roteiro, além da sugestão dos oito empreendimentos turísticos de alojamento existentes no concelho, a gastronomia e os produtos típicos de montanha também não são esquecidos, havendo informação sobre os restaurantes e as oficinas de artesanato do concelho.

 

A Rota das Montanhas de Oleiros abrange a totalidade do concelho de Oleiros e foi criada em parceria com empresas intermunicipais, como é o caso da Naturtejo e da Rede das Aldeias do Xisto.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.