Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugal à Lupa

Há 13 anos a calcorrear o País como jornalista, percebi há muito que não valorizamos, como devíamos, o que é nosso. Este é um espaço que valoriza Portugal e o melhor que somos enquanto Povo.

Portugal à Lupa

Há 13 anos a calcorrear o País como jornalista, percebi há muito que não valorizamos, como devíamos, o que é nosso. Este é um espaço que valoriza Portugal e o melhor que somos enquanto Povo.

Macedo de Cavaleiros organiza I Congresso “Humanizar o Turismo”

As necessidades, as respostas e as soluções são o tema principal do Congresso “Terras de Cavaleiros – Humanizar o turismo”, que decorre nos dias 27 e 28 de janeiro no Centro Cultural Local.

 

Congresso_Terras_de_Cavaleiros_1_736_2500.jpg

 

Inscrições aqui.

 

Entre vários convidados, destaque para a presença de Svetlana Alexijevich, Prémio Nobel Literatura 2015.

Congresso histórico internacional chega a outubro a Guimarães

O Centro Cultural Vila Flor vai receber o 2º Congresso Internacional “As Cidades na História”, subordinado ao tema “Sociedade”, entre 18 e 20 de outubro de 2017.

 

000100-CasteloGuimaraes.jpg

 

A cidade no mundo antigo, na época medieval, moderna, industrial e, finalmente, a cidade da época atual são as cinco grandes áreas temáticas do congresso, cuja primeira edição decorreu em 2012.

 

Cada uma destas áreas terá uma sessão plenária estruturada em torno de dois conferencistas, um português e outro de fora de Portugal, e um conjunto de sessões paralelas de apresentação de resultados espontâneos sobre as respetivas temáticas.

 

Os trabalhos terminarão com uma mesa redonda sobre a Cidade de Futuro.

I Encontro da Rede Mundial das Universidades de Magalhães

Realiza-se de 16 a 18 de janeiro de 2017, em Sabrosa e na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), o I Encontro da Rede Mundial das Universidades de Magalhães (RUMA).

 

PROGRAMA-04-Custom.jpg

 

O Município de Sabrosa esteve na génese da ideia, em 2006, de criação da Rede Mundial das Cidades de Magalhães - RMCM, tendo a mesma sido formalizada no dia 1 de fevereiro de 2013 em Sevilha, com o propósito de operacionalizar a realização de trabalhos que permitam ações conjuntas destinadas ao estudo, difusão e valorização de um facto universal extraordinário: A Primeira Volta ao Mundo (1519 – 1522), dirigida por Fernão de Magalhães.

 

Entre as principais prioridades desta Rede está também a promoção do conhecimento e intercâmbio cultural, socioeconómico e ambiental, bem como a inscrição na lista do Património Mundial da UNESCO do bem em série “Route of Magellan.First around the World”.

 

É neste contexto que surge a proposta de criação de uma Rede Mundial das Universidades de Magalhães para a investigação, a ciência e a cultura, que procura promover ações conjuntas de intercâmbio entre as universidades que a compõem, no âmbito da investigação, ciência e cultura, contribuindo para o desenvolvimento de projetos de interesse comum e transversal, bem como da sua democratização, colocando-os ao serviço da comunidade, da transmissão do conhecimento e dos grandes desafios enfrentados pela humanidade.

 

A criação da RUMA, no âmbito da RMCM, usará o significado dos feitos históricos que emanam da Primeira Viagem de Circum-navegação â Volta do Mundo, com projetos que envolverão contributos das diferentes disciplinas académicas para o desenvolvimento e a paz.

 

O Município de Sabrosa e a UTAD, coorganizam este primeiro Encontro Mundial de Universidades de Magalhães que se realiza de 16 a 18 de janeiro de 2017 em Portugal, em Sabrosa e em Vila Real e contará com a participação de 14 Universidades dos territórios tocados por Magalhães, pertencentes a nove países e a quatro continentes, assim como a participação e apoio do Governo de Portugal e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte.

 

Neste primeiro Encontro pretende-se ver debatidas as perspetivas das Universidades para a colaboração e cooperação do trabalho em rede, bem como analisar e aprovar os protocolos de constituição da RUMA e do seu envolvimento no processo de candidatura à inscrição na lista do Património Mundial da UNESCO, do bem em série “Route of Magellan.First around the World”. 

 

Pretende-se ainda obter contributos por parte das Universidades para o enriquecimento do programa das comemorações do V Centenário da Primeira Viagem de Circum-navegação, bem como formas de participação da RUMA no mesmo. 

«365 Algarve» promove destino turístico de estudantes estrangeiros

Promover o destino turístico junto dos estudantes estrangeiros, tendo como ponto de partida a oferta cultural do programa «365 Algarve» foi a ideia que norteou a parceria pioneira entre a Região de Turismo do Algarve (RTA), a Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) e a Universidade do Algarve (UAlg) e que vai decorrer em 2017.

 

14724386_1818276118392827_7300973358964759794_n.jp

 

O desafio que o «365 Algarve» lançou aos municípios e à universidade para realizar uma parceria que visa promover a região na comunidade académica prende-se com três dos objetivos do programa: reforçar a identidade cultural do território, construir um projeto estruturante e sustentável e melhorar a experiência e a perceção do destino.

 

«Tendo como foco principal da parceria os alunos internacionais, Erasmus e outros, a frequentar a Universidade do Algarve – cerca de 1200 estudantes –, pretende ganhar-se embaixadores da região e do programa 365 Algarve, através da promoção e descoberta das pessoas, identidade e território, bem como afirmar a oferta cultural, no sentido de passar a palavra de que na região todos os dias contam», esclarece a comissária de programação Dália Paulo.

 

«Pedimos aos 16 municípios do Algarve para num dos dias de espetáculo definirem um programa de visita cultural, sem esquecer a gastronomia e outros atrativos turísticos que certamente irão maravilhar os alunos internacionais a frequentar a Universidade do Algarve. Assim, estes jovens estudantes estrangeiros vão conhecer alguns dos segredos da região ao mesmo tempo que assistem a apresentações do programa 365 Algarve, uma forma original de aliar Cultura e Turismo», explica o presidente da RTA, Desidério Silva.

 

Para o reitor da Universidade do Algarve, António Branco, «esta parceria confere especial ênfase, por um lado, à estratégia de internacional da instituição e, por outro, à natureza cosmopolita da região, articulando-as num esforço conjunto centrado na valorização do Algarve enquanto região de Cultura».

 

A parceria arranca hoje, 14 de janeiro, em Vila do Bispo, com «Morphosis», um projeto de Hugo Alves e João Frade que une dois instrumentos improváveis, o trompete e o acordeão. No concerto, um dos melhores trompetistas nacionais e um mago do acordeão exploram juntos a tradição à luz da modernidade​, numa improvisação sobre temas originais escritos a pensar nas potencialidades dos dois instrumentos.

 

Até ao final do mês de maio, estão agendados eventos nos restantes concelhos do Algarve.

 

«365 Algarve» é um programa cultural que complementa a oferta tradicional deste destino turístico com mais de mil apresentações de música, dança, teatro, exposições, animação de património, entre outras.

 

A primeira edição decorre de outubro de 2016 a maio de 2017 e os eventos que vão ter lugar em todo o território algarvio convidam a uma visita à região.

Beira Interior: Unidade de Farmacovigilância para toda a região

A Universidade da Beira Interior (UBI), sediada na Covilhã, vai passar a dispor de uma Unidade de Farmacovigilância que pretende contribuir para aumentar a segurança na utilização de medicamentos e que dará resposta a toda a região.

 

educação_freerangestock_com.jpg

 

Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, esta instituição de ensino superior adianta que a estrutura ficará instalada na Faculdade de Ciências da Saúde e que será hoje inaugurada.

 

De acordo com a informação, a atividade ali desenvolvida vai servir todos os municípios dos distritos de Castelo Branco, Guarda e Viseu.

 

«Irá abranger todas as unidades de saúde dos três distritos e uma população superior a 735.000 pessoas», consta na nota de imprensa.

 

Segundo o referido, esta unidade «integrará o Sistema Nacional de Farmacovigilância, que é gerido pelo Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde - e que conta com mais seis unidades a funcionar em território nacional».

 

«A Unidade de Farmacovigilância da Beira Interior tem como objetivo contribuir para aumentar a segurança na utilização de medicamentos, com base nos princípios da proximidade e proatividade», acrescenta a UBI.

ComparaJá.pt - quer ajudar os portugueses a poupar tempo e dinheiro

O ComparaJá.pt, plataforma gratuita de comparação de produtos financeiros, como Cartões de Crédito e Crédito Pessoal, concluiu com sucesso a sua primeira ronda de financiamento tendo garantido o acesso a 20 milhões de euros junto de grandes fundos de investimento como o ACE & Company, líder em private equity, a Nova Founders Capital, a SBI Holdings ou o Pacific Century Group, para além de reconhecidos nomes como Mark Pincus, fundador da Zynga ou Peter Thiel, fundador do Paypal.

 

Capturar.JPG

 

Fundado no início de 2015 por Sérgio Pereira, numa parceria com o investidor Mads Faurholt-Jorgensen, o projeto que nasceu incubado na Startup Lisboa captou a atenção de reconhecidos nomes internacionais devido à sua abordagem disruptiva ao setor financeiro. Com recurso a um serviço de comparação inovador e 100% independente, o ComparaJá.pt quer revolucionar a forma como os portugueses comparam, selecionam e adquirem produtos e serviços dos setores da Banca, Seguros e Telecomunicações.

 

O valor a que a startup vai ter acesso, obtido através da sua holding que agrega as restantes declinações de marca na Europa, vai ser alocado ao alargamento do seu portefólio de produtos, que atualmente inclui Cartões de Crédito e Crédito Pessoal, nomeadamente pela inclusão da comparação de Crédito à Habitação, Seguros e Telecomunicações, para além da melhoria da sua estrutura tecnológica.

 

O objetivo do portal independente de comparação é ser a referência dos consumidores nacionais na hora de encontrar o produto financeiro mais indicado de forma prática e informada, permitindo poupanças significativas de tempo e dinheiro, à semelhança do que acontece com os comparadores de voos e hotéis, serviços que os portugueses já não dispensam. Como resultado do alargamento da sua atividade, o ComparaJá.pt também vai apostar no crescimento da sua equipa.

 

Em linha com a sua ambiciosa estratégia de crescimento, recentemente o ComparaJá.pt contou com dois importantes reforços na sua estrutura de gestão: José Figueiredo juntou-se ao projeto enquanto codiretor geral, tendo como principal foco a área comercial. Também o experiente executivo da indústria seguradora, Miguel Mamede, que transitou da Ageas, veio assumir o cargo de Vice-Presidente para a área de Seguros da plataforma. O primeiro desafio deste profissional vai passar pelo lançamento, já nos próximos meses, do serviço de comparação de seguro automóvel.

 

No início de 2016, o ComparaJá.pt inaugurou a sua sede em Alvalade (Lisboa), numa cerimónia que contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, e o Secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, que foi mentor desta empresa durante a sua fase de incubação na Startup Lisboa.

 

Ajudando os consumidores a fazer uma melhor escolha dos seus produtos financeiros através da sua plataforma de comparação gratuita, o ComparaJá.pt permite apresentar em menos de 1 minuto as opções mais vantajosas existentes em todo o mercado para os diferentes perfis.

Centro de Interpretação de Alqueva com maior registo de visitas da última década

alqueva1.jpg

 

O Centro de Interpretação de Alqueva, situado junto à barragem alentejana, recebeu 7.860 visitantes em 2016, mais 38% face a 2015 e o maior registo dos últimos 10 anos.

 

Segundo a Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva (EDIA), a «grande maioria» das pessoas que visitaram em 2016 o Centro de Interpretação de Alqueva (CIAL), situado no concelho de Moura, no distrito de Beja, junto ao heliporto de Alqueva e sobranceiro à barragem, é constituída por portugueses.

 

Seguem-se espanhóis, franceses, alemães e ingleses, mas também visitantes oriundos de países como Sudão, Índia, Turquia ou Nigéria, entre outros, precisa a EDIA, num comunicado enviado à agência Lusa.

 

O CIAL, com entrada gratuita, está aberto todos os dias para «dar a conhecer toda a informação relevante» sobre o projecto do Alqueva aos «milhares» de pessoas que anualmente visitam a zona da barragem.

 

O centro dispõe de um espaço interpretativo de exposição e multimédia, um auditório com capacidade para 50 lugares e uma zona de estar onde se podem consultar várias publicações da EDIA.

 

No centro é possível ver vários filmes sobre o projecto de Alqueva, um deles em 3D, e simular o funcionamento do elevador de peixes instalado na barragem de Pedrógão, no concelho de Vidigueira, no distrito de Beja.

 

Alqueva, na sua capacidade total de armazenamento, à cota de 152 metros, é o maior lago artificial da Europa, com uma área de 250 quilómetros quadrados e cerca de 1.160 quilómetros de margens.

Dourotur vai fazer diagnóstico sobre o turismo no Douro

douro980.jpg

 

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) vai fazer um diagnóstico sobre o turismo no Douro, desde os visitantes à oferta turística, no âmbito do projeto Dourotur que vai ser apresentado quarta-feira, em Vila Real.

 

Segundo anunciou hoje a academia transmontana, «o projeto pretende colmatar, com a produção de conhecimento científico, o fosso existente entre as potencialidades turísticas do Douro e o seu desenvolvimento, mostrando estratégias para maximizar os benefícios do turismo na estimulação da economia local e minimizar os efeitos negativos».

 

O número de visitantes que chegam ao Douro, classificado como Património Mundial da Unesco em 2001, tem aumentado significativamente nos últimos anos.

 

Conhecer melhor o turista que visita o território duriense e os impactos que o turismo deixa no território são alguns dos objetivos deste estudo que a UTAD vai realizar nos próximos três anos.

 

O projeto de investigação Dourotur, sobre turismo e inovação tecnológica do Douro, está a ser desenvolvido pelo Centro de Estudos Transdisciplinares para o Desenvolvimento (CETRAD) da academia transmontana.

 

O projeto, segundo a UTAD, assenta em quatro linhas de investigação, que estão interligadas.

 

A primeira diz respeito à oferta e a hospitalidade turística do Douro, depois será analisada a imagem, a comunicação e os relatos turísticos do Douro e a procura turística e os efeitos do turismo no Douro. Por fim, o estudo vai abordar o marketing’digital turístico e as novas tecnologias no Douro.

 

A abordagem, segundo explicou a academia, privilegia uma «perspetiva sistémica, territorial e integral do turismo enquanto atividade humana complexa».

UTAD quer patrimonializar a rota do contrabando

Bento Grilo, um dos rostos da memória do contraba

  Bento Grilo, um dos rostos da memória do contrabando.

 

Um estudo da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) traz a lume lugares de memória e testemunhos de antigos contrabandistas da aldeia raiana de Tourém, no concelho de Montalegre, com vista a implementar um processo de patrimonialização de uma rota do contrabando naquele território.

 

Trata-se de um estudo documental, realizado pelo jovem investigador Hugo Carvalho dos Santos, no âmbito do seu mestrado em Comunicação e Multimédia e com a orientação dos docentes Emanuel Peres Correia e Leonel de Castro, que propõe uma reflexão sobre o futuro da fronteira potenciando a memória dos lugares, hoje em vias de desertificação, retratando as pessoas que, em épocas diferentes, participaram nesta atividade clandestina, bem como os percursos, maioritariamente isolados e abrigados, utilizados para o contrabando.

 

Com cerca de uma centena e meia de habitantes, ninguém esconde o passado da localidade ligado ao contrabando, não só de produtos e animais, mas também de pessoas que tentavam, “a salto”, atravessar a fronteira e emigrar para outros países. Com o poder central demasiado longe e durante séculos votada ao esquecimento, a povoação criou laços e métodos próprios de ligação no comércio com o outro lado da fronteira, havendo uma convivência muito próxima entre povos, que por vezes ia contra a inimizade e mesmo a guerra entre os países.

 

O contrabando fazia-se com o café para lá e o bacalhau para cá, mas também petróleo, lingotes de cobre, chumbo, gasóleo, cabeças de gado, vinho e outros bens. Havia códigos de ética entre contrabandistas e códigos estratégicos para enganar as autoridades.

 

«O vinho de Espanha era ruim, mas era barato», testemunha um dos antigos contrabandistas, que em pequeno, antes das aulas, ia ao vinho ao outro lado da raia. Num desses dias foi apanhado e preso pelos guardas com um garrafão de vinho com quatro litros. A sua mãe teve de pagar 450 escudos para o libertarem, o que «naquele tempo valia quase tanto como um bezerro», recorda. E o vinho ainda ficaram os guardas com ele.

 

«Nessa altura tudo comia – refere um dos testemunhos. – Os guardas também comiam. Eles ganhavam mais do que nós. Os maiores contrabandistas eram eles. Comiam bem. Quando deixavam passar um, já tinham comido dois».

 

Rico de memórias de miséria e sofrimento, de histórias humanas vividas por um povo que lutava como podia para sobreviver em terras isoladas, este trabalho propõe constituir-se como «um documento que ajude na preservação e patrimonialização da memória do contrabando e da fronteira de Tourém».

 

Enriquecido com muitas imagens de pessoas e lugares, a rota de contrabando proposta apresenta-se como repositório da memória de uma clandestinidade corajosa com imensos registos, não apenas os ligados ao contrabando, mas também as histórias de pessoas e lugares que auxiliavam a emigração «a salto» e que acolhiam galegos fugidos à ditadura franquista. Nesta mesma rota, realça-se ainda o reconhecimento popular da capela de S. Lourenço que a tradição consagrou como padroeiro dos contrabandistas, uma vez que era junto dela que sucediam muitas das operações clandestinas, na crença de que o santo as auxiliava.