Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugal à Lupa

Há 13 anos a calcorrear o País como jornalista, percebi há muito que não valorizamos, como devíamos, o que é nosso. Este é um espaço que valoriza Portugal e o melhor que somos enquanto Povo.

Portugal à Lupa

Há 13 anos a calcorrear o País como jornalista, percebi há muito que não valorizamos, como devíamos, o que é nosso. Este é um espaço que valoriza Portugal e o melhor que somos enquanto Povo.

“Fundão, Aqui Come-se Bem” – Festival da Tibórnia

O Município do Fundão organiza, de 5 a 23 de dezembro, o Festival Gastronómico “Fundão, Aqui Come-se Bem” – Festival da Tibórnia, em 24 restaurantes e seis pastelarias do concelho do Fundão.

 

azeitonas 3.jpg

 

Neste festival irão participar os restaurantes A Moagem, Alambique de Ouro, As Tílias, Boguinhas, Cantinho dos Grelhados, Cascata, Fiado Restaurante, Garfo Dourado, Hermínia, Hotel Rural Casa da Eira, Marisqueira Bela Vista, O Beiral, O Calhambeque, O Cerejal, O Fernandes, O Lagarto, O Mário, O Parque, O Pipo, O Telhas, Paladar’te, Papas e Migas, Ponto Come e Snack-Bar Sítio do Vale. Irão ainda participar as pastelarias Arte e Doce, Formiga, Flor do Fundão, Laranjinha, Paris e Salgados da Ana.

 

De acordo com a autarquia, este festival surge como «forma de preservar um dos costumes mais importantes no que se refere à prova do azeite novo, a tibórnia ou tibornada, e pretende não só conservar esta tradição, mas também dar as “boas vindas” ao bom azeite novo que se produz na Cova da Beira, valorizando-o e promovendo-o enquanto produto fundamental na dieta mediterrânea».

 

Durante este período serão também promovidas várias experiências ligadas ao azeite novo, como participar na colheita da azeitona, visitar os lagares e provar os azeites novos.

“A Queda do Muro de Berlim, prenúncio de uma nova era da História”

Está patente até 16 de dezembro, na Biblioteca Municipal Eugénio de Andrade, no Fundão, a exposição documental “A Queda do Muro de Berlim, prenúncio de uma nova era da História”.

 

muro de berlim2.jpg

 

Este acontecimento mundial que significou o fim da separação entre a Europa Ocidental e a Europa de Leste é ilustrado por jornais nacionais e internacionais.

 

Esta é a terceira exposição do fundo J.-M. Nobre Correia e decorre sob o lema “Grandes acontecimentos contemporâneos no caleidoscópio da imprensa europeia”.

 

A exposição tem entrada gratuita e poderá ser visitada no horário de funcionamento da Biblioteca Municipal, de terça a sexta-feira, das 9.00h às 13.00h e das 14.00h às 18.00h, ou à segunda-feira e ao sábado, das 14.00h às 18.00h.

Festas de inverno: ritos, caretos, fecundidade dos homens e dos campos

As festividades mais características do concelho de Bragança são aquelas que se realizam no solstício de inverno, quando as grandes fogueiras comunitárias pontuam pelas várias aldeias onde as máscaras e os seus portadores são os protagonistas principais.
 

Carnaval_de_Podence_2008_17.jpg

 

É por altura do Natal, até ao dia de reis que emergem os diversos rituais com mascarados, nos quais estes estranhos seres "andam à solta".
 
 
A origem dos mascarados liga-se ao culto dos antepassados, pela fertilidade dos campos, pela fecundidade dos homens e dos animais, pela manutenção da lei cívica e moral, e da ordem.
 
 
O panorama temático e funcional das máscaras, no concelho de Bragança, articula-se fundamentalmente, nas seguintes festividades:
 
 
Festa dos rapazes: Varge e Aveleda - 25 e 26 de dezembro;
 
 
Santo Estêvão: Rebordãos, Parada de Infanções, Grijó de Parada - 26 de dezembro; 
 
 
Festas dos Reis: Salsas - 1 a 6 de janeiro | Rebordaínhos - 6 de janeiro | Baçal - 10 e 11 de janeiro.

Vale do Guadiana em documentário

O Parque Natural do Vale do Guadiana é um dos locais com mais biodiversidade em Portugal albergando algumas das espécies mais ameaçadas do nosso país.

 

Vale-do-Guadiana_PNVG.jpg

 

A grande diversidade de habitats e paisagens e o impressionante enquadramento geológico do traçado do rio, dá a esta região um enorme potencial do ponto de vista narrativo e cinematográfico. 

 

Com base nestes pressupostos e assente no propósito primeiro da salvaguarda e valorização do património natural deste território, a Câmara Municipal de Mértola, contratualizou com a produtora Wildstep Productions, dirigida pelo realizador Daniel Pinheiro, a realização de um documentário de história natural sobre o Vale do Guadiana e paisagens naturais e humanas envolventes.

 

Esta iniciativa integra-se no âmbito do conjunto de ações do projeto POSEUR Geração BIO e, conta com a parceria científica do ICNF/Parque Natural Vale do Guadiana.

 

O documentário assume-se, essencialmente, como uma ferramenta pedagógica, pois de forma simples, acessível e visual dará a conhecer os habitats, as espécies e os valores que compõem a biodiversidade local, assim como, as ameaças que pesam sobre ela.

 

O documentário, cujas primeiras filmagens já decorrem, será filmado em Ultra Alta Definição 4K, situando-se na vanguarda da tecnologia utilizada internacionalmente no registo documentário de história natural.

RAMIREZ colabora na primeira emissão mundial de selos em lata de conserva

O primeiro selo português (D. Maria II) foi lançado em 1853, precisamente no ano da fundação da Ramirez & Cª (Filhos). A coincidência motivou um desafio dos CTT, que pretendem homenagear a indústria conserveira, à Ramirez: a produção da primeira emissão mundial de selos em lata de conserva.

 

Ramirez - CTT - 3.jpg

 

A apresentação desta original emissão filatélica, que incluiu uma cerimónia de obliteração, realizou-se na semana passada na nova unidade industrial da Ramirez, em Lavra, Matosinhos.

 

«Esta colaboração com os CTT representa uma dupla homenagem à indústria conserveira. Para além da coleção de selos que evoca a história da indústria conserveira, estes ainda são embalados e comercializados no interior de uma lata de conserva, que tivemos o orgulho de produzir», explica Manuel Ramirez, presidente do conselho de administração.

 

WTF e sardinhas… em chocolate

 

Utilizar latas de conserva e a sua tecnologia de cravação para embalar outros produtos, para além das sardinhas, das cavalas ou do atum, já não é, porém, uma novidade para a Ramirez.

 

O lançamento da operadora de telecomunicações WTF fez-se com recurso à comercialização de cartões para telemóveis no interior de latas de conserva. Regularmente, por solicitação de um cliente, a Ramirez também embala e crava latas repletas de sardinhas… de chocolate.

 

«Estas são situações excecionais. Por um lado, impõem constrangimentos à produção regular e revestem-se de cuidados especiais, como minimizar a presença de água e outros líquidos. Por outro, é sempre um orgulho para uma empresa a caminho do bicentenário como a Ramirez ter parceiros como os CTT, prestes a comemorar 500 anos e cujas origens remontam ao reinado de D. Manuel I», afirma Manuel Ramirez.

 

Ramirez - CTT - 4.jpg

 

Para esta emissão especial foram produzidas 50 mil latas especialmente serigrafadas, com seis selos cada.

 

A lata e os selos remetem para o passado de sucesso da indústria conserveira, recuperando em fotos e ícones os processos de fabrico de outrora.

 

Os seis selos, cujo valor facial varia entre 0,47€ e 1€, têm uma tiragem de 125 000 exemplares cada. Com um formato de 30,6 X 80 mm, os selos e a lata foram concebidos pelo designer portuense Fernando Pendão.

 

A Ramirez, a laborar desde 1853, produz mais de 55 referências. Do atum às sardinhas, com passagem pela cavala; bacalhau, lulas, polvo, mexilhões ou filetes de anchova. Com 200 colaboradores, produz 45 milhões de latas/ano e fatura €30 milhões/ano.

Pág. 4/4