Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Portugal à Lupa

Há 13 anos a calcorrear o País como jornalista, percebi há muito que não valorizamos, como devíamos, o que é nosso. Este é um espaço que valoriza Portugal e o melhor que somos enquanto Povo.

Portugal à Lupa

Há 13 anos a calcorrear o País como jornalista, percebi há muito que não valorizamos, como devíamos, o que é nosso. Este é um espaço que valoriza Portugal e o melhor que somos enquanto Povo.

SCUT: setor do turismo lamenta não ter sido ouvido pelo Governo

A Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo (APHORT) lamenta que o Governo não tenha chamado o setor para debater as reduções das portagens nas antigas scut, considerando que o documento «não reflete todos os interesses nacionais».

Auto-estrada_A_23.JPG

 

Para a APHORT, o diploma do Governo é redutor no combate às assimetrias regionais, uma vez que "deixa de parte regiões como o Alto Minho, Douro ou Alto Tâmega".

 

«O turismo foi esquecido no momento da elaboração deste documento, que tem como suposto objetivo mitigar as assimetrias regionais e os efeitos das portagens na atividade económica e nas exportações de algumas regiões», lê-se no comunicado.

 

Afirmando que podia ter dado «importantes contributos para o documento, tendo em vista o crescimento, em termos gerais, da economia, do emprego e das exportações do país», aquela associação defende que a portaria «deveria ter incluído a criação de melhores condições de mobilidade, mitigando os efeitos das portagens entre o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, a principal porta de entrada de turistas para as regiões norte e centro e os principais destinos a si ligados».

 

A APHORT considera que os troços da A28 - autoestrada do Litoral Norte -, entre Matosinhos e Viana do Castelo e o da A7 - autoestrada do Douro -, entre Guimarães e Vila Pouca de Aguiar, também deveriam ter sido contemplados com reduções uma vez que são «canais vitais para o acesso dos turistas que chegam via aeroporto e que pretendem visitar o Alto Minho ou as regiões do Alto Tâmega e do Douro».

 

No final, a associação alertou o Governo de que a «tarefa de 'mitigar as assimetrias regionais'» será «muito difícil de alcançar se o único olhar sobre o país continuar a ser apenas o olhar da capital».

 

Recorde-se que o Governo anunciou recentemente 15% de desconto a todos os veículos que circulem, a partir de 1 de agosto, em algumas autoestradas, vias maioritariamente localizadas no interior do país e no Algarve.

Feira da Serra mostra o interior algarvio em São Brás de Alportel

A Feira da Serra – Verão de São Brás de Alportel, é um evento sociocultural que nasceu em 1991 por iniciativa de uma Associação de Desenvolvimento Local (Associação IN LOCO) com a perspetiva de valorização dos produtores e produtos da Serra do Caldeirão, tendo o Município de São Brás de Alportel apostado, desde o início, na sua realização.

3.JPG

 

Este evento tornou-se uma referência no roteiro turístico e cultural do verão no Algarve, juntando saberes e sabores genuínos da serra e do interior e mostrando as suas tradições, o artesanato, a gastronomia, as danças e cantares.

 

Todos os anos, no último fim-de-semana de julho, São Brás de Alportel recebe a tradicional Feira da Serra.

 

Cataplana é rainha nas pousadas algarvias até setembro

Até 30 de setembro, os restaurantes das Pousadas Palácio de Estoi, Convento de Tavira e Sagres celebram a cataplana algarvia. Todos os dias, ao almoço e jantar, há vários sabores à escolha para partilhar entre duas pessoas – Cataplana de Polvo com Batata-doce, Cataplana de Perdiz, Cataplana de Carne de Porco com Amêijoas, Cataplana de Seitan e Ratatui de Vegetais.

7531_polvo_e_batata_doce-3.jpg

 

Com equipas de cozinha experientes e dedicadas, os restaurantes das Pousadas de Portugal – a maior rede nacional de restaurantes de gastronomia portuguesa – dão a conhecer o melhor da gastronomia das várias regiões onde estão inseridas.

Terreiro do Paço com vídeo mapping em agosto

Pelo terceiro ano consecutivo, o Terreiro do Paço vai ser o cenário de mais um espetáculo de vídeo mapping. Entre 5 e 14 de Agosto, o espetáculo "As caras de Lisboa" revela histórias, personagens e locais da capital portuguesa.

ng7340122.jpg

 

Com três sessões diárias agendadas para as 21h45, 22h30 e 23h15, o espetáculo “As Caras de Lisboa” vai contar a história da cidade através de personagens históricas intemporais, como a varina, o mestre calceteiro ou o amolador.

A projeção, que será acompanhada por música, abrange toda a extensão da fachada onde se situa o Arco da Rua Augusta, com histórias paralelas que se vão cruzando.

O início do espetáculo remete para o fantástico, com o mar a engolir o Terreiro do Paço, à imagem da Atlântida submersa, levando o público a nadar com os peixes entre os corais.

 

Seguem-se imagens de praças, mercados e bairros típicos de Lisboa, bem como imagens das varinas, dos amoladores nas suas bicicletas e dos mestres calceteiros. Um bom programa para toda a família.

Um superalimento chamado romã

A romã tem sido apontada como um 'superalimento' e um novo estudo do instituto suíço EPFL confirma que há razão para isso: há certas bactérias no nosso intestino que, quando entram em contacto com uma molécula presente na romã, fazem com que as células musculares se protejam contra o envelhecimento.

rom-e.jpg

 

Embora os ensaios clínicos em seres humanos ainda estejam a decorrer, a investigação em vermes nemátodos (uma espécie de lombriga) e roedores mostrou resultados promissores. 

 

«O rato e os vermes nemátodos são, em termos evolutivos, muito distantes. O facto de eles reagirem da mesma forma à mesma substância é uma boa indicação que este mecanismo é essencial à vida de todos os organismos», afirma Johan Auwerx, co-autor do estudo.

 

A investigação, cujos resultados iniciais foram publicados na revista Nature Medicine, foca-se nas mitocôndrias, que têm um papel essencial na manutenção da energia celular.

 

A romã, cujo nome científico é Punica granatum, é uma infrutescência da família das Punicáceas, originária do sul da Ásia, na Pérsia. Foi levada pelos fenícios para os países mediterrânicos, de onde se difundiu para o continente americano, chegando ao Brasil pela mão dos portugueses.

 

A nível mundial, os maiores produtores são o Afeganistão, o Irão, Israel, Brasil, EUA, Itália e Espanha, sendo esta o maior exportador europeu.

 

Em Portugal, a região do Algarve concentra cerca de 80% da área e 95% da produção total de romã do continente. A maioria da produção provém de árvores dispersas, em bordadura, sendo relativamente reduzido o número de pomares extremes. A área de cultura, que tem vindo a decrescer, é actualmente de 108 ha e a produção anual ronda as 400 toneladas.

 

As variedades mais frequentes são a Mollar, a De Elche, a Dejativa - de origem espanhola – e a Asseria. Esta última é uma variedade tradicional da região algarvia, precoce e caracterizada por bagos carnudos, vermelhos e de grainha pequena.

 

Com um poder antioxidante potente, apresentando um teor elevado de vitamina C, flavonoides, pró-vitamina A, taninos. Estas substâncias são muito promissoras na prevenção de várias patologias e ajudam a controlar os níveis de colesterol.

 

O sumo de romã tem um conteúdo em polifenóis três vezes superior ao do vinho tinto e do chá verde, substâncias que ajudam a prevenir as doenças cardiovasculares e alguns tipos de cancro.

Viticultura: Alentejo é a região mais cobiçada

O Alentejo foi a região mais disputada este ano pelos candidatos a viticultores, com a procura a exceder oito vezes a oferta disponível, mas nem todas as regiões captaram o mesmo interesse, ficando por aproveitar 200 hectares de vinha.

vinhosalentejo101.jpg

 

Este ano, que marca a abertura do negócio do vinho a novos produtores, foram a concurso cerca de 2.100 hectares de nova vinha e houve intenções superiores à oferta, segundo disse à Lusa o presidente do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), Frederico Falcão.

 

O novo sistema de autorizações, que entrou em vigor em 2016, substituiu o anterior regime de direitos de plantação, que se baseava em quota, ou seja, só podia produzir vinho quem já tivesse vinha ou comprasse o direito de plantar.

 

A partir deste ano, as autorizações passaram a ser atribuídas pelo IVV mediante concursos, sendo disponibilizada aualmente cerca de 1% da área plantada no ano anterior.

Rota do Património Mundial do Douro em exposição

MONTALEGRE - Rota do Património Mundial do Douro

 

Foi inaugurada no Ecomuseu de Barroso, Montalegre, uma exposição fotográfica, da autoria de António Sá, intitulada "Rota do Património Mundial do Douro/Duero".

 

Trata-se de um trabalho que percorre os 10 sítios classificados pela UNESCO como património da humanidade, existentes ao longo da bacia do Douro.

 

As imagens desta exposição, patente ao público até finais de setembro, traduzem apontamentos visuais captados no Norte da Península Ibérica, em zonas próximas da linha de fronteira entre Portugal e Espanha no rio Douro/Duero.

Com o verão chegam os Encontros de Gastronomia Super Bock

Novo verão, nova temporada dos Encontros de Gastronomia Super Bock.

francesinha-01.jpg

 

Das Super Bock de sempre à gama de cervejas especiais Seleção 1927, os festivais de gastronomia que combinam o melhor da culinária emblemática de cada cidade ou região conhecem em 2016 duas etapas, no Porto e em Setúbal.

 

A 4ª edição de Marisco no Largo decorrerá em Setúbal, de 4 a 14 de agosto.

 

No Largo José Afonso, sempre das 18h00 às 24h00, não faltarão excelentes pretextos para apreciar o melhor que o mar e o rio Sado têm para oferecer: ameijoas, berbigão, búzios, camarão, gambas, lagosta, lagostins, lavagante, mexilhão, navalheiras, sapateiras, santolas e as incomparáveis ostras da Reserva Natural do Estuário do Sado.

 

Da programação constarão ainda sessões de show cooking dedicadas aos frutos do mar e música.

 

Já o Francesinha na Baixa tem lugar de 29 de setembro a 9 de outubro, na cidade do Porto. Na Praça D. João I estarão reunidas algumas das mais reconhecidas cervejarias da cidade, que confecionarão diferentes propostas da famosa sanduíche, das versões mais tradicionais às mais vanguardistas. Chefes de cozinha serão igualmente desafiados a realizar interpretações de francesinha, em sessões de show cooking.