Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Portugal à Lupa

Há 13 anos a calcorrear o País como jornalista, percebi há muito que não valorizamos, como devíamos, o que é nosso. Este é um espaço que valoriza Portugal e o melhor que somos enquanto Povo.

Portugal à Lupa

Há 13 anos a calcorrear o País como jornalista, percebi há muito que não valorizamos, como devíamos, o que é nosso. Este é um espaço que valoriza Portugal e o melhor que somos enquanto Povo.

Dourotur vai fazer diagnóstico sobre o turismo no Douro

douro980.jpg

 

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) vai fazer um diagnóstico sobre o turismo no Douro, desde os visitantes à oferta turística, no âmbito do projeto Dourotur que vai ser apresentado quarta-feira, em Vila Real.

 

Segundo anunciou hoje a academia transmontana, «o projeto pretende colmatar, com a produção de conhecimento científico, o fosso existente entre as potencialidades turísticas do Douro e o seu desenvolvimento, mostrando estratégias para maximizar os benefícios do turismo na estimulação da economia local e minimizar os efeitos negativos».

 

O número de visitantes que chegam ao Douro, classificado como Património Mundial da Unesco em 2001, tem aumentado significativamente nos últimos anos.

 

Conhecer melhor o turista que visita o território duriense e os impactos que o turismo deixa no território são alguns dos objetivos deste estudo que a UTAD vai realizar nos próximos três anos.

 

O projeto de investigação Dourotur, sobre turismo e inovação tecnológica do Douro, está a ser desenvolvido pelo Centro de Estudos Transdisciplinares para o Desenvolvimento (CETRAD) da academia transmontana.

 

O projeto, segundo a UTAD, assenta em quatro linhas de investigação, que estão interligadas.

 

A primeira diz respeito à oferta e a hospitalidade turística do Douro, depois será analisada a imagem, a comunicação e os relatos turísticos do Douro e a procura turística e os efeitos do turismo no Douro. Por fim, o estudo vai abordar o marketing’digital turístico e as novas tecnologias no Douro.

 

A abordagem, segundo explicou a academia, privilegia uma «perspetiva sistémica, territorial e integral do turismo enquanto atividade humana complexa».