Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Portugal à Lupa

Há 13 anos a calcorrear o País como jornalista, percebi há muito que não valorizamos, como devíamos, o que é nosso. Este é um espaço que valoriza Portugal e o melhor que somos enquanto Povo.

Portugal à Lupa

Há 13 anos a calcorrear o País como jornalista, percebi há muito que não valorizamos, como devíamos, o que é nosso. Este é um espaço que valoriza Portugal e o melhor que somos enquanto Povo.

AMPV elege Cidade do Vinho 2017 no dia 14 de novembro

Alenquer/Torres Vedras, Madalena do Pico, Moura, Pinhel e Vila Nova de Foz Côa são as cinco candidaturas que concorrem ao título.

 

uva-gamay.jpg

 

A AMPV – Associação de Municípios Portugueses do Vinho recebeu este ano cinco candidaturas a Cidade do Vinho 2017. O prazo de entrega dos projetos terminou no passado dia 31 de outubro e a eleição terá lugar no próximo dia 14 de novembro, em Lamego.

 

Alenquer e Torres Vedras, na região de Lisboa, uniram-se para apresentar uma candidatura conjunta e ao título concorrem também os municípios de Madalena do Pico (Açores), Moura (Alentejo), Pinhel (Beira Interior) e Vila Nova de Foz Côa (Douro).

 

A AMPV adianta que «uma vez mais, e à semelhança do ano passado, temos em mãos cinco candidaturas muito fortes, com propostas e programas muito diversificados, o que reflete o esforço e empenho dos municípios nesta candidatura», refere o secretário-geral da AMPV, José Arruda, antevendo já «uma decisão bastante difícil no dia 14 de novembro».

 

A “Cidade do Vinho” é um projeto da AMPV que surgiu em 2009, com Palmela a ser o primeiro município a receber o título. Ao longo destes anos o projeto foi-se consolidando com imensos sucessos concretizados e vividos pelos vários municípios detentores deste título, projetando inequivocamente, quer dentro do território nacional quer fora, a riqueza e o potencial das regiões vitivinícolas portuguesas enquanto motores sustentáveis do desenvolvimento. Durante este ano de 2016 é o município algarvio de Lagoa que detém o título.

 

O projeto tem como objetivo contribuir para a valorização da riqueza, da diversidade e das características comuns da cultura do vinho e de todas as suas influências na sociedade, paisagem, economia, gastronomia e património.